A relação entre cão e homem começou há milhares de anos e foi fundamental para a manutenção das raças que conhecemos hoje.

Os cães se transformaram em verdadeiros membros da nossa família, e não é para menos. Esses bichinhos de quatro patas nos dão uma verdadeira aula de lealdade e companheirismo, independente da sua raça, porte e idade.

No entanto, é preciso dizer que existe uma distinção entre os cães, em relação à sua função, ou pelo menos às funções às quais seus antepassados foram acostumados. Um cão de caça, por exemplo, vai ter um comportamento diferente de um cão de companhia.

Ter esse tipo de conhecimento auxilia muito na hora de comprar ou adotar um filhote, pois oferece uma noção maior a respeito do comportamento do animal.

Antes de adotar seu cão, lembre-se que de cuidar muito bem dele, dar um nome próprio, pode ser até nomes para guildas, únicos e o trate como da família. Lembrando que cada cão tem um temperamento distinto e este pode ser condicionado pelo ambiente em que vive.

Ancestralidade canina

Antes de entrar nas funções dos cães, é preciso ressaltar que essa relação super amigável com o ser humano nem sempre foi assim. Na verdade, tudo começou por volta de 33 mil anos atrás, num momento em que houve uma aproximação a partir de uma troca mútua.

Essa troca consistia em oferecer alimentos aos lobos em troca de proteção aos humanos. Estudos explicam que, com o passar do tempo, os filhotes desses lobos foram se tornando dependentes dos humanos, deixando o hábito de caçar por conta própria: é daí que surge o cão doméstico.

O desenvolvimento dos cães foi acontecendo, de início, conforme o êxodo humano. Eles foram se adaptando às regiões por onde os humanos iam, sofrendo alterações na pelagem, tamanho dos olhos e porte. Porém, foi a ação humana que desencadeou o surgimento das primeiras raças.

Isso porque, com o intuito de gerar animais voltados para determinadas áreas — caça, proteção, segurança, etc. — os humanos passaram a utilizar o processo de cruzamento seletivo. Ou seja, cruzando animais com características necessárias aos seus interesses de sobrevivência.

Atualmente, existem mais de 300 raças de cães em todo o mundo. No que diz respeito às suas funções, é possível dividir os animais em dez grandes grupos, como veremos a seguir.

Grupo 1 – Pastores e boiadeiros

O primeiro grupo engloba raças como o Pastor inglês e o Corgi e tem como principal função a movimentação de outros animais, tais como ovelhas e gado. Esses cães têm uma habilidade incrível de pastorear e guardar rebanhos. Por conta disso, esse tipo de animal necessita de bastante movimento no seu dia a dia.

Grupo 2 – Cães de montanha e molossos

A maioria dos cães desse grupo é de grande porte e por isso são muito usados como seguranças e até mesmo para fazer salvamento aquático. Rottweiler, Fila brasileiro, Boxer, São Bernardo são alguns exemplares conhecidos de cães de montanha e molossóides; além de raças pequenas como Pinscher e Schnauzer.

Grupo 3 – Terriers

Do latim “terra”, os Terriers estão bastante ligados à caça de roedores e pequenos mamíferos, usando inclusive da escavação para achar suas presas. O instinto de caça latente faz com que exemplares deste grupo, como Fox terrier e Dandie dinmont terrier, precisem gastar energia diariamente.

Grupo 4 – Dachshund

A marca registrada do Dachshund — conhecido como “salsichinha” — é o faro super aguçado e, em razão disso, sua função também é a caça. Suas características físicas também são bem marcantes: focinho e corpo alongados, patas curtas e musculatura sólida.

Grupo 5 – Spitz e Tipo Primitivo

Grande parte dos cães desse grupo eram usados como guardas de casa e seguranças. Seus descendentes mais conhecidos são Chow-Chow e Husky Siberiano. Ao mesmo tempo, são animais bastante companheiros. Desse grupo, a raça de pequeno porte mais conhecida é o Spitz Alemão.

Grupo 6 – Sabujos e Rastreadores

Ativos, brincalhões, farejadores e calmos. Essas são algumas das principais características do grupo dos sabujos e rastreadores. O Basset hound e o Beagle entram nessa lista de cães que exigem bastante atividade para gastar a energia que lhe é própria.

Grupo 7 – Cães de Aponte

Os cães de aponte são considerados verdadeiros especialistas em caça, por apontarem para a presença da presa em questão. Esses animais são extremamente inteligentes, habilidosos e velozes, além de serem muito companheiros, a exemplo do Braco dinamarquês e do Setter irlandês.

Grupo 8 – Retrievers, levantadores e de água

Labrador e Golden Retriever são algumas raças participantes deste grupo, marcado por animais de médio a grande porte, com um excelente olfato, habilidade na busca por presas e, ao mesmo tempo, calmos e muito afetuosos.

Grupo 9 – Cães de Companhia

Os cães de companhia mais comuns são Lhaso apso e Yorkshire. Tais raças, em sua maioria de pequeno porte, são muito dóceis, inteligentes e apegadas aos seus donos.

Grupo 10 – Galgos e Lebreiros

Além de especialistas em caça, os integrantes do grupo dos galgos e lebreiros também têm a velocidade com característica bem marcante. São exemplares o Galgo inglês e o Saluki.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *